Questão da Crimeia

Boa tarde, Senhores Delegados! A pedido de alguns, foi feito um post sobre como a situação da Crimeia se encerra e qual é a situação atual no ano de 2020. Bons estudos!

No fim de 2013 e início de 2014, a decisão de aproximar a Ucrânia da Rússia, ao invés de assinar um acordo com a União Europeia deflagrou um intenso conflito na Ucrânia. Em fevereiro daquele ano, houve derramamento de sangue e o então presidente da Ucrânia, Viktor Yanukovych, foi destituído. A população ucraniana, dividida entre pró-russos e pró-UE, tentavam sobreviver aos ataques de ambos os lados, com militantes armados e forças do exército. Na região da Crimeia, um referendo decidiu que a região pertencesse à Rússia, agravando ainda mais a situação.

Tudo começou em novembro de 2013, quando o então presidente, Viktor Yanukovych, decidiu recusar um acordo que aprofundaria os laços da Ucrânia com a União Europeia e que vinha sendo negociado desde 2010. Ao invés disso, o presidente preferiu se aproximar da Rússia. Na ocasião, o governo ucraniano chegou a admitir que tomou tal decisão sob pressão de Moscou. Segundo Kiev, os russos teriam ameaçado cortar o fornecimento de gás na região e tomar medidas protecionistas contra produtos ucranianos. Devido à decisão, a oposição e parte da população ucraniana foram às ruas.

Os confrontos diminuíram um pouco depois que os manifestantes saíram dos prédios oficiais que estavam ocupando e após o governo garantir que daria anistia a todos. Mas os acampamentos de protesto continuaram pelas ruas de Kiev e a oposição pró-UE continuou a exigir a renúncia do presidente. No fim do mês de janeiro de 2014, cinco manifestantes morreram após o confronto com a polícia. Foram as primeiras mortes da crise. Em fevereiro, os protestos ficaram mais violentos, com armas de fogo em ambos os lados do conflito, e cerca de 100 pessoas morreram e outras centenas ficaram feridas, incluindo policiais.

Em 22 de fevereiro de 2014, as manifestações culminaram na destituição do presidente Yanukovych. Com isso, novas eleições foram marcadas para o dia 25 de maio. No período entre a queda do então presidente e a eleição de um novo, o presidente recém-eleito do parlamento, o opositor Oleksander Turchynov, assumiu o governo interinamente. No posto de presidente interino, Turchynov disse que conversaria com a Rússia para melhorar as relações com o país, mas que a integração com a UE viria em primeiro lugar. Em 27 de fevereiro, o Parlamento criou um novo governo pró-UE e anti-Rússia. Neste cenário, a Rússia e os pró-russos defenderam que houve um golpe de estado na Ucrânia e novos confrontos ocorreram.

As tensões separatistas se acirraram principalmente na península da Crimeia, com maioria russa. O governo russo chegou a afirmar que houve ameaças aos cidadãos de etnia russa que viviam na península. Os choques entre os manifestantes e a polícia se tornaram constantes e aeroportos e prédios do governo foram invadidos por pró-russos. A essa altura, a Rússia já estava intimamente envolvida nos conflitos e o Parlamento russo aprovou o envio de tropas à Crimeia na tentativa de “normalizar a situação”. A região aprovou um referendo para debater sua autonomia e elegeu um premiê pró-russo, Sergei Aksyonov, não reconhecido pelo governo central da Ucrânia.

Em 16 de março de 2014, um referendo, aprovado por mais de 96% da população, definiu a anexação da Crimeia à Rússia. O resultado, porém, não foi reconhecido pelo Ocidente. Mesmo sem o reconhecimento da Ucrânia, o presidente russo Vladimir Putin assinou um tratado de adesão com Aksyonov e tropas russas ocuparam a região, além de invadir postos militares na Ucrânia. A Ucrânia considerou a ação russa como uma declaração de guerra e se preparou para reagir a uma possível invasão russa em todo seu território. No leste do país, onde também havia uma maioria russa, o movimento separatista ganhou força e militares pró-russos invadiram prédios governamentais, ocasionando novas mortes e fazendo com que o conflito escalasse cada vez mais.

A situação foi ficando mais tensa ao longo do ano de 2014, com diversos bombardeios em território ucraniano e a crescente intervenção russa no país, o que levou os EUA, a União Europeia e o G7 a impor sanções contra os russos. A OTAN também alertou o governo de Putin sobre as consequências gravíssimas que uma intervenção na Ucrânia poderia causar, mas o governo russo não recuou.

A situação não mudou muito durante o ano de 2015, com a intervenção da Rússia cada vez maior na Ucrânia, e o Ocidente demonstrando sua posição fortemente contrária às atitudes de Moscou. No início de 2016, uma comissão foi criada por países ocidentais para discutir um cessar-fogo e a assinatura de um acordo de paz entre Rússia e Ucrânia, bem como analisar a questão da Criméia. As reuniões e negociações se arrastaram ao longo do ano, e no fim de 2016, Rússia e Ucrânia assinaram um acordo de paz, cessando os conflitos. Segundo o acordo, a Crimeia continuaria anexada a Rússia, e a Ucrânia não perderia seu status de Estado soberano. Os conflitos e ocupações cessaram, a Rússia retirou suas tropas de algumas regiões do país e, durante algum tempo, somente algumas insurgências de rebeldes foram registradas na Ucrânia.

Dica de Filme para o Fim de Semana!

Já ouviu falar no Michael Moore? Ele é um diretor que produz, na maioria das vezes, documentários em crítica ao sistema capitalista atual. A nossa dica de hoje é Fahrenheit 9/11! Lançado em 2004 e tendo ganhado alguns prêmios, o documentário conta como ficou a vida dos estadunidenses após o 11/09 e como a administração Bush utilizou-se do evento para tirar algum proveito.

fahrenheit 911

Tudo a ver com o que vamos discutir nos dias do MINIONU, não?

O documentário está disponível no youtube: https://www.youtube.com/watch?v=rxiNYUFIiJ4

E também existem várias versões para download!

Bom filme!

– Equipe AGNU (2020)

Já ouviu falar no Observatório da Imprensa?

Para quem não conhece, o Observatório da Imprensa é um projeto da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) que desde 1996 está na internet disponibilizando sempre estudos sobre a área jornalística. Em 1998 passou a ser exibido também na televisão, no canal TVE do Rio de Janeiro e na TV Cultura de São Paulo.

observatorio-imprensa-critica-midia-brasileira-jornais

Além de ser um site que mostra estudos sobre vários assuntos atuais, o Observatório da Imprensa publica livros sobre determinados assuntos, e é nesse ponto que ele se torna importante para os estudos que nos preparam para os dias de simulação do MINIONU.

Dois livros foram disponibilizados, em 2004, falando sobre mídia e terrorismo. Neste livro estão disponíveis vários artigos que falam, principalmente, sobre o pós-11 de setembro. Como o cenário de 2020 se assemelha bastante aos anos que sucederam os ataques de 11 de setembro de 2001, vale a pena ler!

Os dois livros estão disponíveis abaixo:

Observatório da Imprensa – Mídia e Terrorismo

Observatório da Imprensa – Mídia e Terrorismo 1

Bons estudos!

– Equipe AGNU (2020)

Dica de Filme

“Mera coincidência”, filme de 1997 com atores como Robert De Niro e Dustin Hoffman, conta a história fictícia de um presidente dos Estados Unidos que a poucos dias da eleição é envolvido em um escândalo sexual. Com a possibilidade de não ser reeleito, um de seus assessores entre em contato com um produtor de Hollywood para que este “invente” uma guerra na Albânia, na qual o presidente poderia ajudar a terminar, além de desviar a atenção pública para outro fato bem mais apropriado para interesses eleitoreiros.

mera coincidência

Por mais que este não seja exatamente o assunto a ser tratado na reunião da Assembleia Geral das Nações Unidas sobre Mídia e Terrorismo, este filme, apesar de não retratar a realidade, evidencia o quanto a mídia pode ser usada para que algumas pessoas alcancem o que desejam.

CURIOSIDADE: Após o início da produção do filme,  e ainda antes do lançamento do filme nos cinemas norte-americanos, o até então presidente Bill Clinton se envolveu em um escândalo sexual com sua secretária, Monica Lewinski, e também em uma ação militar contra o Iraque. Esta semelhança com os fatos reais e os narrados no filme foi o grande motivo do título brasileiro de Mera Coincidência.

O filme está disponível online no link: http://www.filmesonlinegratis.net/assistir-mera-coincidencia-dublado-online.html

Bom filme!

– Equipe AGNU (2020)

 

 

Fonte:

http://www.adorocinema.com/filmes/filme-17370/curiosidades/

 

Dica de Documentário

war made easy

 

Documentário de 2007, narrado por Sean Penn , “War made easy: How presidentes and pundits keep spinning us to death” mostra a relação nos últimos 50 anos entre o Governo estadunidense e a imprensa, mostrando principalmente como ao longo deste tempo muitas guerras foram justificadas por meio dessa.

O documentário está disponível para download na internet!

Bons estudos!

– Equipe AGNU (2020)

Noam Chomsky – Moralidade distorcida, uma guerra ao terrorismo?

chomsky

Noam Chomsky é um estudioso, ativista político e autor que revolucionou o estudo de linguística. Formado em filosofia, psicologia, matemática e linguística, Chomsky tem mais de 70 livros traduzidos para 10 línguas diferentes.

O vídeo abaixo foi gravado em uma palestra dada em Harvard em 2002 e fala sobre os diferentes atos terroristas acontecidos no final do século XX, além de como essa moralidade criada, principalmente pelos EUA, sobre terrorismo talvez deva ser um pouco invertida. Criticando a posição norte-americana diversas vezes, Chomsky nos mostra como a verdade que não queremos enxergar está bem diante de nossos olhos.

Acesse a palestra legendada neste link: http://www.youtube.com/watch?v=nwD3KbT4V-o

Bons estudos!

 

Quer saber um pouco mais sobre Noam Chomsky? Acesse: http://super.abril.com.br/cultura/dentro-cabeca-noam-chomsky-443820.shtml

– Equipe AGNU (2020)

Tá sem filme pra assistir nesse fim de semana?

Nós temos uma sugestão!

É o filme Ameaça Terrorista, de 2010.

O filme conta a história de um terrorista que esconde três bombas atômicas em diferentes cidades dos Estados Unidos, e apesar de preso, ele não revela a localização das armas. Já que na próxima reunião da Assembleia Geral das Nações Unidas discutiremos assuntos relacionados ao terrorismo, esse é um bom filme pra já ir entrando no clima.

É super fácil baixar o filme na internet, ou também locá-lo.

 

download

 

 

Bom filme!

 

 

– Equipe AGNU (2020)